Dança Cigana

  A dança cigana reflete a alegria de um povo que traz consigo o mistério por meio dos passos e dos movimentos que saúdam, invocam e fazem fluir a mais bela vibração energética e bem-estar com a força dos quatro elementos da natureza. O objetivo dessa dança é despertar o sagrado feminino, a sensualidade e a feminilidade. Também, além do objetivo físico (coordenação motora, alongamento e fortalecimento dos músculos), faz bem para a alma elevando a autoestima, liberdade, amor próprio e equilíbrio vital. Cada gênero musical, ritmo e seus movimentos contam a história dos ciganos em diversas partes do mundo. Por exemplo: a força do Flamenco (Espanha), a sensualidade da Dança do Ventre (Oriente Médio, Egito, Turquia), os ritmos mais clássicos (Hungria, Rússia, Romênia, Itália), tribal e beduína (Índia, Casaquistão, Marrocos).
Cada ritmo dessa dança é agregado com alguns intrumentos que complementam e valorizam o bailado, como leques, rosas, fitas coloridas, pandeiros, xales, véus, echar-pes, punhal, castanholas. Cada instrumento trabalha a energia dos quatro elementos: leque (elemento ar), representa o amor; rosas (terra), representam o amor, a beleza, a conquista, a sedução e a sensualidade; fitas coloridas (água), representam as lágrimas e as alegrias derrubadas pelo povo cigano; pandeiros (quatro elementos), representam alegria e festa, e servem também para purificar o ambiente; xale (fogo), representa a força, a proteção e a família; castanholas (terra), retiram toda a negatividade e fazem que com os sentimento de alegria e amor sejam fluentes na vida das pessoas; véu (ar), expressa a leveza do corpo e a sensualidade; punhal (somente para adultos, elementos ar e terra), simboliza lutas disputas e limpeza do corpo e do ambiente.
Essa dança é para todas as idades: crianças, jovens e adultos. A dança cigana para crianças auxilia na coordenação motora, convívio social e psicomotricidade.

© 2019 La Bella Arte Jundiaí